Minha História na África do Sul

Este é um relato da maior história de amor que vivi em toda a minha vida. Não se trata de um diário, mas sim de uma coleção de lembranças que quero perpetuar e compartilhar. Me preocupei em preservar a identidade das pessoas que menciono nos posts. Todos os nomes são fictícios.

East London Beach. Aqui neste cenário revelei o meu amor por ela.
East London Beach. Aqui neste cenário revelei o meu amor por ela.
      Quem nunca fantasiou um grande amor? Quem nunca sonhou com aquela Alma Gêmea que pensa como você, que satisfaz seus desejos mais íntimos, que se esforça para agradar e sempre consegue? Infelizmente são raras as pessoas que conseguem realizar isso. Talvez por medo de encontrar e não saber como cuidar, ou talvez por não saber onde procurar. Mas as raras pessoas que conseguem realizar isto,  muitas vezes não estão preparadas para a responsabilidade de viver um grande amor. Sonham desesperadamente com ele, lutam com todas as forças para encontrá-lo mas, com uma facicidade estúpida, acabam perdendo e se arrependendo depois.

Não existe sentimento mais destrutivo que o arrependimento. Ele é cáustico e corrosivo. Nos destrói por dentro em um processo lento e doloroso. Acaba com a nossa auto-estima e, se algum dia é superado, deixa cicatrizes horríveis em nossa alma.

Alanya é uma mulher de beleza rara. Exageradamente bonita, com lindos cabelos louros que se extendiam abaixo da cintura e um par de lindos e imensos olhos azuis.  Sua personalidade é marcante. Ela é irreverente, despojada, matreira e um pouco audaciosa. Uma combinação de elementos que a tornava praticamente indescritível. Levei muito tempo para definir sua personalidade.

Porém, como qualquer sonho, um dia chegou ao fim. O destino a tirou de mim de forma brutal e sem oportunidade de retorno. Um grave acidente a tirou de mim, me deixando para recomeçar com o coração tão dolorosamente partido. Minha vida perdeu o sentido e eu não conseguia mais ver cores em nada. Hoje apenas sobrevivo carregando em mim essa dolorosa lembrança de um tempo em que fui verdadeiramente feliz.

    Eu trocaria todos os anos de vida que ainda me restam por apenas o tempo suficiente de abraçá-la só mais uma vez. De poder olhar profundamente em seus lindos e grandes olhos azuis e dizer pela última vez:

                     MEU DOCE ANJINHO, EU TE AMO.